Consumidor aposta no e-commerce e setor prevê crescimento de 35% em 2013

Consumidor aposta no e-commerce e setor prevê crescimento de 35% em 2013A comodidade, segurança, conforto e a agilidade na hora de ir às compras na internet fazem com que os consumidores adquiram cada vez mais produtos da web. Prova disso é de que, em 2012, o e-commerce faturou R$ 22 bilhões, superando em 21% o valor em relação à 2011. Para 2013, o crescimento, em relação ao ano passado, será de 35%.

A pesquisa realizada pelo Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) revelou que esse número não contabiliza as compras de automóveis, passagens aéreas e leilões online, como o Mercado Livre. Ainda assim, os dados obtidos revelam que o comércio eletrônico irá representar 8,3% do faturamento das redes associadas à organização este ano, enquanto ano passado foi de 6%. Para este ano, R$ 20 bilhões serão investidos pelo varejo em sistemas de informática, logística, distribuição, pesquisa, marca, infraestrutura e novas lojas.

Boa conduta

O professor de Finanças do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec) Gilberto Braga credita a expansão do e-commerce às mudanças de comportamento do consumidor. Para o especialista, o acesso aos smartphones tem aproximado as pessoas da tecnologia. “Os telefones com acesso à internet criam uma cultura de conexão permanente, ampliando a porta de entrada ao e-commerce”, diz. Mas Braga explica que, na hora de comprar, a maioria ainda recorre ao desktop ou ao notebook. “A mudança que se percebe é que o usuário já não apresenta mais resistência às transações eletrônicas, já que conhece melhor esse espaço”, acrescenta.

Mudanças

Mudanças de produtosAs novidades ficam por conta das mudanças no ranking de produtos mais procurados: roupas e acessórios têm conquistado um lugar cada vez maior. “Há cinco anos, essa categoria não estava nem entre as 20 primeiras. Hoje, ocupa a terceira posição”, diz o diretor de comunicação da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, Gerson Rolim. Nos Estados Unidos, alcançou o posto mais alto no mercado de e-commerce.

O crescimento na procura por esses itens se deve principalmente aos ajustes na numeração. Rolim explica que, antigamente, comprar roupas pela internet era uma tarefa difícil, pois os tamanhos variavam muito. Era impossível, por exemplo, adquirir um sapato, porque o consumidor dificilmente saberia se o tamanho informado pelo site era o mesmo que ele calçava. Hoje, a padronização é maior.

Eletrodomésticos e eletroeletrônicos, itens de informática, livros e pequenos produtos de cuidados pessoais são outras opções que levam consumidores às lojas virtuais. Segundo Rolim, eles são mais exigentes do que os que procuram lojas físicas. “Quem compra na internet tem uma expectativa muito alta em relação a prazo de entrega e cuidados na embalagem. Se a empresa promete entregar o produto no dia seguinte e não cumpre, certamente terá um cliente muito insatisfeito”, afirma Rolim. Problemas com trocas e devolução também estão entre as principais causas de possíveis dores de cabeça causadas pelo serviço.

Nova classe

Classe COutro fator que contribui para manter o crescimento do setor é a introdução da classe C no e-commerce. Dados revelam que cerca de 56% dos novos entrantes pertencem à classe. Entretanto, o fato de que essa classe apresenta sinais atuais de endividamento pode frear o consumo. Em novembro, por exemplo, 59% das pessoas afirmaram estar endividadas, sendo que 6,8% não poderão quitar as dívidas. Todos esses fatores interferem no e-commerce, que poderia ter um crescimento ainda maior se o endividamento fosse menor.

Segurança

Para garantir uma compra segura, Rolim afirma que é preciso tomar cuidado com links por e-mail, a maior ferramenta de fraudes na web. “O usuário acha que está no site de uma marca conhecida, passa seus dados e tem as informações roubadas”, diz. Manter o antivírus atualizado também é importante, além de checar se o portal da loja é seguro – caso seja, um cadeado trancado aparece na barra de endereço.

Veja artigos relacionados

Comentários (0)

Deixe o seu comentário!